Acabei pegando minha professora carente

Abas primárias

Categoria: 

Olá novamente, me chamo Tony e tenho atualmente 21 anos. Ja publiquei um outro conto no qual relatei a minha primeira aventura com a Maria, minha vizinha coroa. Se quiser conferir basta clicar no meu nome.

Lá creio que citei que tinha uma "lista" de mulheres maduras que eu oferecia as minhas amadas "punhetas", e uma das mulheres dessa lista era minha professora de geografia Flávia(fictício), que vai ser a coroa do conto de hoje.

Ela era uma quarentona já, 1,65, magra, loira de cabelo curto, olhos castanhos claros, seios médios e uma bunda exuberante. Ela começou a me dar aulas no primeiro ano do ensino médio, mas isso que vou contar aconteceu só quando eu estava no terceiro ano.

Aconteceu em agosto de 2014. A copa tinha acabado junto das "férias" também. Nessa época já fazia uns 4 meses que eu tinha largado o trabalho com a Maria, e também não tinha mais nada com ela. Nesse meio tempo tentei arranjar uns rolos, mas parecia que depois que peguei a Maria as outras garotas ficaram todas bem meh. O papo com o garotas da minha idade as vezes era legal, e eu conseguia chegar até a dar uns beijos, mas nunca senti mais a mesma coisa. Fiquei então na seca meio que por opção mesmo durante esse tempo, e tentei me concentrar nos estudos, mas não deu muito certo kkkk

A professora Flávia todo dia estava chegando na escola com seu carro na mesma hora que eu, e toda vez com um vestido diferente. As vezes um ate um pouco decotado, que destacava bem os seios dela. Outras vezes uns bem soltos e coloridos que chamavam muito a minha atenção. E por isso eu sempre a cumprimentava e elogiava os vestidos dela. Ela era uma professora bem legal, toda animada sempre e conversava muito com os alunos. Tanto que ela até passou o número do whats dela para algumas pessoas, e eu por sorte fui uma delas. E por conta de eu ficar elogiando ela toda vez, um dia ela acabou me chamando no whats com uma dúvida.

- Tony, pode me ajudar? Não sei com qual vestido eu vou para escola amanhã. Um preto ou um azul escuro?

Eu estranhei a mensagem, mas respondi.

- Azul combina mais com você. Preto é só pra quem quer emagrecer ou ir para um velório kkkk

- Verdade... Vou com o azul então, obrigada

Ela responde e logo fica off. Eu então falo

- Porque perguntou isso logo para mim professora? As garotas da sala não dariam uma opinião melhor não?

Ela então respondeu.

- Mulheres nunca querem ver outras mulheres mais bonitas que elas, por isso sempre peço a opinião dos homens. Eles são meio lerdos, mas costumam ser sinceros em momentos assim. E você sempre é o primeiro a elogiar a minha roupa na escola, então quem poderia ser melhor? Kkkk

Pode parecer estranho, mas ela sempre foi assim com todo mundo. Na escola ela era rígida e ensinava muito bem, mas fora da sala ela virava praticamente uma aluna, por isso todo mundo gostava dela.

Depois que ela falou isso eu só mandei risos e agradeci. Mas continuei conversando com ela sobre assuntos da escola, porém acabou surgindo vários outros assuntos e começamos meio a que nos aproximar mais. No dia seguinte cheguei na escola e logo depois ela chegou também num vestido longo azul escuro e decotado. Não chegava a ser "vulgar", era um vestido normal mas com um decote um pouco maior do que ela costumava usar normalmente.

Continuei minha rotina normal e elogiei ela como sempre fazia. Ela me agradeceu e me cumprimentou, depois foi para a sala dos professores e eu fui para minha sala com meus amigos. Assim que me sentei fui olhar meu celular e vi que ela tinha me mandado uma mensagem logo depois que nos encontramos.

- Espero que não fique com medo de mim e pare de falar comigo só por eu ser sua professora, viu?

Dizia ela na mensagem. Eu ri na hora e falei

- Nossa, então o pessoal daqui da escola faz isso? Que povo sem consideração... Mas não se preocupe, eu não vou fazer isso... Eu acho :P

Enviei e ela logo visualizou e respondeu.

- HaHaHa, se fizer isso vou passar uma redação só para você fazer sobre as placas tectônicas. 100 linhas no mínimo.

- Kkkkk pode ser, eu gosto mesmo de escrever.

Depois disso ela só mandou risos e acabamos o papo por ali. Continuamos tendo esses papos durante umas duas semanas e nos aproximamos cada vez mais, por isso descobri muita coisa sobre ela. Ela era casada a 10 anos, tinha duas filhas, uma de 24 e uma outra de 10. A primeira não era filha do atual marido dela, e sim de um namorado que ela teve antes dele. E a notícia que mais me preocupou, ela achava que o marido dela traia ela com uma colega de trabalho dele...

Logo que ela teve coragem de me contar isso eu lembrei da Maria. Ela desconfiava que o marido traia ela também, mas não era verdade. A Maria só era uma mulher fogosa e que precisava de atenção. Como o marido parou de dar essa atenção ela jogou a isca para mim e eu peguei. Mas no caso da professora não era bem assim...

Ela queria atenção de fato, ou não falaria daquele jeito comigo por medo de eu parar de falar com ela. Mas ao contrário da Maria a Flávia só não sabia bem o que fazer.

Bom, eu também não. Por isso só continuei conversando com ela normal, e acabei contando que tive um caso com uma mulher casada. Ela se surpreendeu com isso, e pela intimidade que criamos eu senti que não tinha problema. Ela ficou curiosa de como foi então eu acabei contando. Claro que mudei um pouco de como aconteceu porque ela conhecia a Maria também, mas sobre as transas eu contei tudo. Foi a partir desse ponto que começamos a ter uns papinhos mais "quentes", e foi por conta desses papos que creio que essas coisas que vem a seguir aconteceram.

Numa sexta feira depois da escola eu estava no meu quarto quase umas 6 quando ela me chamou.

- Estou começando a fazer o jantar agora.

Ela enviou junto de uma foto de carne moída, varios legumes e temperos, todos em cima da pia da casa dela.

- Agora fiquei com fome...

- Se quiser pode vir comer aqui. Chama sua mãe e sua irmã também. Eu vou jantar sozinha com minha filha já que meu marido vai ficar de "plantão" hoje.

Ela fala e já percebo que ela estava mais desconfiada dele. E isso foi meio que um sinal dela, dizendo que naquele dia não estava normal. Porém eu não notei...

- Eu bem que queria ir, mas não posso. Hoje é aniversário da minha sobrinha aqui em casa.

- Entendi... Que pena então. Bom que sobra mais pra mim :P

- Vai engordar se comer demais kkkk

- E eu tenho que ligar para isso? Não sou uma dessas mulheres que precisam ficar mandando esse negócio de nudes pra se exibir.

Eu surpreso com a frase dela pergunto

- Como é que você sabe disso professora?

- Eu converso muito com esse povo adolescente. Estou por dentro dessas novas modas estranhas.

Depois disso começamos estranhamente a falar sobre Nudes. Naquela época foi quando mais ou menos começou essa onda de nude pra cá e nude pra lá. E como ela era bem liberal quanto a esses assuntos eu não via problema de falar disso. Mas ela puxou esse assunto já por um motivo...

- Já mandou algum nude para alguém professora? Kkk

Eu pergunto na zoeira, porém curioso também.

- EU? Nunca! Não tenho corpo pra isso.

- Ué, mas você tem um corpão bonito.

- Ah é? Então você repara no meu corpo?

- Claro! Sou homem também ue...

- Kkkk Sei... Mas não tenho idade para essas coisas não. Já sou casada, não preciso mandar nudes.

- Não tem nada haver. Se eu fosse seu marido ia adorar receber um nude seu.

Enviei e vi que ela visualizou e demorou pra responder. Nessa hora achei que passei um pouco do ponto com ela, mas esperei antes de começar a me desculpar. Deixei o celular então carregando e fui tomar um banho.

Demorei uns 15 minutinhos só no banho e sai. Quando olhei meu celular tinha 5 mensagens dela, e a última era uma imagem. Na hora que eu vi e liguei os pontos senti um friozinho na barriga. Abri então o whatsapp e abri a conversa dela e tive uma surpresa. Ela tinha enviado fazia 3 minutos apenas, então ela demorou para responder quase o tempo certinho do banho. E na primeira mensagem dizia.

- Tony, eu confio em você! Por isso vou envia agora umas fotos. Quero que você apague logo depois que ver e me mande um print pra eu ter certeza que apagou.

Ai na segunda mensagem.

- Quero que me diga e seja sincero, eu ainda estou atraente?

Logo abaixo disso estavam 3 fotos dela. A primeira era ela no banheiro sem sutiã, mostrando aqueles belos seios de bicos rosados. A segunda era dela sentada na privada completamente pelada, mas mostrando apenas a bocetinha dela. E a terceira era ela nua de corpo inteiro e com a mão na cintura. Apesar do susto que levei na hora eu gostei muito do que vi. Ela já era quarentona, mas não tinha pneuzinho, os seios ainda estavam de pé, e a bocetinha estava totalmente sem pelos e com dois belos lábios até que carnudos. Mas fiquei me perguntando porque motivo ela faria aquilo? Ela era meio louquinha mesmo, mas eu não esperava isso.

- Flávia... Você ficou maluca? Porque me mandou isso?

Eu escrevi logo que vi as fotos.

- Só apaga, me diz o que acha e paramos de falar disso.

Eu apaguei, e como ela pediu tirei Print da galeria e mostrei que tinha apagado.

- Obrigada... Mas e ai, o que achou?

Eu naquela hora estava meio sem palavras, mas respondi

- Como eu já disse antes e vou repetir, você é uma mulher muito bonita Flávia, tanto por fora como essas fotos mostraram, como por dentro. Mas quando eu disse aquilo não era bem isso que eu queria... Eu só quis dizer que seu marido poderia realmente gostar de receber fotos picantes suas. Já que seu casamento anda meio para baixo achei que essa seria uma boa ideia...

Eu envio e ela mais uma vez demora pra responder.

- Eu sei o que você quis dizer... Durante esse tempo que conversamos eu conheci melhor você, e percebo quando fala algo para me animar. Mas eu não consigo mais aguentar... Eu sempre tentei me manter atraente para o meu marido. Eu malho e corro toda semana, visto as roupas que ele diz que gosta mais, até já ofereci sexo anal e ele continua só me rejeitando... Por isso pensei que não estava atraente. "Talvez por isso ele esteja me traindo" é isso que passa direto na minha cabeça.

Ela responde com isso e percebo que naquele dia ela não estava nada normal. Ela sempre era toda alegre e se achava sempre a mulher mais bonita do mundo, mas agora eu não sentia isso nela. Nem respondi ela na hora e sai de casa direto pra casa dela. Deixei de lado aquele "aniversário" que seria so uma festa pequena, e fui para a casa da professora sem avisar ela antes. Quando cheguei lá ela estava prestes a sair com o carro um pouco já meio bêbada. Eu impedi ela e levei ela pra dentro da casa dela

- Você ia dirigir assim professora? O que aconteceu afinal?

- Não era pra você ter vindo aqui. Eu não queria que me visse assim...

Ela falou quase começando a chorar. Ela não estava tão bêbada quanto eu imaginava, mas mesmo assim notei que ela tinha tomado algumas boas doses.

- O que aconteceu?

Eu pergunto

- O que aconteceu foi que eu descobri... Eu sou uma corna. Tenho chifres já faz muito tempo e nunca tinha percebido.

- O que você descobriu?

- Olha ai você mesmo...

Ela fala apontando para o notebook em cima da mesa de centro da sala. Vou então ate o notebook e vejo que está aberto em um vídeo de um site porno muito conhecido. O título do vídeo era um monte de letras e números, mas no vídeo quem estava lá era o marido dela e uma enfermeira transando no meio da sala dele. Não tinha como negar que era ele pois aparecia o nome no crachá e mostrava o rosto dele varias vezes.

Eu vi só o bastante para me deixar irritado. Fiquei irritado porque ela acabou tendo que ver aquilo, e também fiquei irritado porque ele ficou 10 anos com uma mulher daquelas do lado, e foi caçar uma magrela sem sal para dar chifres nela. Depois que vi eu me sentei ao lado dela no sofá e falei

- Ele é um idiota por fazer isso... Você é uma mulher incrível. Não merece isso que ele fez...

- Foi culpa minha... Eu tinha que me esforçar mais como esposa...

- Não... Você fez sua parte. Ele que não cumpriu a dele como marido.

Ela me olhou e quase chorando me abraçou. Quando encostou no meu ombro ela não resistiu e começou a chorar. Chorou por uns 5 minutos e fiquei so quieto abraçando ela. Perguntei então onde estava a filha dela, e ela disse que tinha mandado ela para a casa de uma amiguinha porque pretendia ir lá no hospital tirar satisfação com o marido que estava de "plantão".

- Ele não merece seu choro... Na verdade ele nem te merece, então não vale a pena tirar satisfação. Só abre o divórcio sem ele saber e prepara tudo. Quando ele perguntar o porque, ai mostra aquilo ali como prova.

Eu falo e na hora ela curtiu a ideia

- É isso que eu vou fazer... Aquele infeliz vai me pagar.

Ela fala e depois de um tempo volta a me abraçar. Depois desse abraço ela se afasta e olha no meu olho e fala "obrigada". Depois disso achei que ela ia se levantar e fazer alguma coisa, mas não. Ela aproximou o rosto dela do meu e me beijou. Logo se afastou, sorriu de novo para mim e me beijou mais uma vez.

Eu nem relutei, só retribui e nem falei nada. Ela se acalmou depois daquilo e foi tomar um banho, enquanto eu fiquei na sala esperando só pra me despedir. Só que quando ela saiu do banheiro ela veio só de toalha para a sala. Eu me assusto e me levanto, ela então fala

- Eu tenho o jantar já pronto na cozinha. Você quer comer um pouco?

Ela pergunta como se aquela cena fosse a mais natural do mundo.

- Pode ser... Mas precisava vir aqui de toalha?

Eu falo meio sem jeito

- Ué, não é nada que você já não tenha visto. Olha aqui

Ela fala e abre a toalha mostrando aquele belo corpão. Eu fico rindo meio sem jeito e falo

- Que bom que já está melhor. Não gosto de ver você triste.

Ela me olha sério mas logo depois da um sorriso se cobrindo de novo.

- No banho eu pensei bem e percebi... O que faltava no meu casamento não era sexo, ou atração física, e sim amor... Já faz muito tempo que eu e meu marido não nos amamos. E percebi isso porque quando assisti esse vídeo não fiquei com raiva dele, e sim com raiva de mim... Fiquei com raiva e frustrada por ter perdido tanto tempo da minha vida com esse casamento. Eu bebi e ia lá só pra botar o peso dessa culpa nele, mas quando vi você chegando aqui assim do nada mudei realmente de ideia.

Fiquei feliz que ela me escutou mesmo sendo mais velha. Depois disso ela não falou mais nada, apenas foi para o quarto e se vestiu. Botou um vestido levinho sem nada por baixo e fui com ela para a cozinha. La ela serviu a comida. Comemos e também bebemos um vinho que ela abriu. Eu já tinha 18 então podia beber, mas mesmo assim bebi pouco e não deixei ela beber muito. Quando acabamos eu falei que ia embora, mas ela não deixou. Disse que eu ia ficar e "assistir um filme" com ela. A filha dela só voltaria de manhã então não teria problema.

Só que olhando na cara dela eu percebi. Eu tinha falado para ela que a Maria falou que eu ia ver um "filme" com ela, e no fim acabamos transando. Ela pretendia fazer a mesma coisa, por isso preparou até a pipoca e abriu um champanhe para a gente beber.

Ela então pegou um monte de DVDs que ela tinha e botou aquele filme "curtindo a vida adoidado". Ela apagou as luzes da sala e sentamos quase abraçados no sofá, comendo pipoca e bebendo o champanhe numas taças que ela tinha pegado. Passou uns 15 minutos de filme e ela deitou com a cabeça no meu peito. Eu botei o braço atrás da nuca dela e deixei ela ficar daquele jeito já sabendo o que viria.

Quando passou mais uns 15 minutos de filme ela começou a ficar olhando para mim e rindo. Ela subiu então um pouco mais o corpo e ficamos praticamente rosto com rosto. Nisso eu já nem prestava mais atenção no filme, estava reparando mesmo no escuro no decote dela. Ela tinha vestido um vestidinho que chegava até o joelho mais ou menos, de um pano leve e azul. O decote do vestido era bem grande e quase mostrava os seios dela, por isso quando notei não consegui tirar o olho e ela percebeu.

Ela então me deu um beijo nesse momento e botou um dos seios para fora. Depois pegou minha outra mão e levou até o seio nu dela. Nem relutei, só deixei acontecer. Aquilo foi só a faísca pra acender o nosso tesão.

Ficamos então lá nos beijando no sofá, enquanto eu com uma das mãos brincava com o mamilo dela com os dedos. Ela ainda me beijando me deitou no sofá e montou em cima de mim. Sentou bem em cima do meu pau e logo percebeu o volume fazendo um sorriso malicioso.

Ela saiu um pouco de cima e ja foi tirando o vestido ficando completamente nua. Depois fez eu tirar minha camisa e começou a arrancar o meu short me deixando só de cueca. Ela passava a mão pelo meu corpo todo e me arranhava. Parecia muito bem saber o que estava fazendo, e por isso foi tirando minha cueca bem devagar com ajuda da boca e das mãos. Logo meu pau saltou para fora bem diante da cara dela, e logo ela segurou ele e abocanhou.

Antes mesmo de tirar a cueca ela botou a cabeça do meu pau na boca e começou a me chupar. Chupava enquanto punhetava, lambia da cabeça ao talo, brincava com minhas bolas e chupava elas também. Eu só lembro que nisso eu quase gozei, mas consegui segurar e continuamos.

Até ai não tínhamos falado nenhuma palavra, mas quando ela acabou o boquete ela falou.

- Me chupa também.

Eu logicamente obedeci. Ela sentou no sofá e abriu as pernas. Eu fui para o chão e me ajoelhei na frente dela. Comecei antes pelos peitos, segurei os dois nas minhas duas mãos e apertei com carinho.

Depois brinquei com eles como se fosse um gato lambendo um doce muito bom. Chupei os mamilos, mordisquei, lambi, fiz de tudo e ela ficou lá só me olhando toda sorridente enquanto pressionava minha cabeça contra o corpo dela.

Fui então descendo e cheguei na bocetinha dela. Os lábios estavam um pouco abertos, e o grelinho ja duro. Estava toda melada também, e quando dei a primeira sugada no grelinho já senti que ela gozou. Ela pressionou minha cabeça contra a boceta dela com força, enquanto soltava um gemido alto de prazer. Aquilo so me fez querer continuar chupando, e por isso brinquei bastante com o grelinho dela com a língua, alternando entre sugadas e umas boas lambidas. Ela também me ajudou posicionando minha cabeça onde queria, e por isso pouco depois ela ja teve um outro orgasmo bem mais intenso que o primeiro. Tanto que ela ate puxou meus cabelos pressionando meu rosto.

Logo depois ela me soltou e me puxou para o sofá para me beijar. Ela então olhou para mim e disse

- Me come aqui e agora!

E voltou a me beijar me soltando logo depois, levando a mão a boceta dela. Eu na hora ia obedecer, mas antes ia pegar uma camisinha na minha carteira. Ela me impediu e me puxou para cima dela.

Pegou então meu pau com uma das mãos, deu duas pinceladas na entrada da boceta e logo depois enfiou fazendo uma cara de dor e prazer. Quando ela enfiou eu quase gozei de tesão só por aquilo, mas consegui segurar e ficar naquela posição um tempo, que era a famosa papai e mamãe.

Quando comecei a me mover ela botou os braço no meu pescoço e me puxou para me beijar. Comecei então a meter lentamente, mas aumentando o ritmo seguindo os gemidos dela. Ela começou então a mexer o quadril, aumentei ainda mais a velocidade e fui no ritmo dela. Mas aguentei pouco, só 5 minutos e avisei que ia gozar. Ela olhou para mim e não disse nada. Só prendeu as pernas em volta da minha cintura e também me puxou para me beijar. Dei então duas estocadas fortes e enchi o útero dela de porra.

Como eu estava muito tempo e sexo e sem me masturbar também aguentei pouco, mas não queria acabar ali. Ela pelo visto também não, por isso demos uma pausa curta e logo voltamos a brincar. Ficamos nus e nos beijando no sofá enquanto o filme ainda passava na TV. Estava até na parte do desfile eu acho, quando o carinha lá canta a música.

Logo estávamos prontos para outra. Ela ficou de joelhos no sofá e virou de costas para mim. Eu fiquei de pé atrás dela segurando meu pau duro pronto para continuar aquela noite maravilhosa. Ela arrebitou a bunda para mim pedindo meu pau, mas eu não obedeci. Fiquei admirando aquela bela bunda que ela tinha. Era grande e redondinha. Apalpei como pude e abri as nadegas revelando aquele lindo cuzinho dela, e a pepeca toda melada já pedindo por mais. Não demorei muito mais, posicionei meu pau e enfiei devagar. Ela recebeu ele gemendo e pressionando ele com sua xaninha. Ela era bem apertada apesar de ter tido duas filhas.

Comecei então a meter lentamente e fui aumentando o ritmo enquanto segurava aquela bunda maravilhosa e a puxava contra o meu pau. Ela nessa posição começou a gemer mais alto e acabou gozando mais uma vez. Mudamos então de posição, eu me deitei no sofá e ela sentou em cima de mim e começou a cavalgar. Mas por pouco tempo, pois logo ela saiu de cima e se deitou de lado. Eu nem perguntei, só fui e comecei a meter.

Naquela posição senti que ela gemia com mais intensidade, por isso comecei a fazer com jeitinho e aumentando aos poucos. Enquanto fazia isso ela sorria com uma cara de safada e gemia. Logo senti que ia gozar de novo e avisei, ela então começou a mexer ainda mais o quadril e fez eu gozar mais uma vez dentro dela. Mas dessa vez tirei o meu pau na hora e parte da porra voou nos peitos dela e na coxa. Ela limpou com o dedo e botou na boca depois engoliu e ficou rindo para mim.

Depois disso nos abraçamos ali mesmo e demos um beijo demorado. O filme a essa altura ja estava nos créditos e nem assistimos direito. Tiramos lá o DVD e fomos para o banho juntos. Apesar disso não nos pegamos no chuveiro, apenas tomamos o banho, nos vestimos e eu ia embora. Mas antes de eu sair ela me agradeceu pela noite, e disse que aquilo que fizemos foi só o resultado dessas duas semanas que ficamos conversando. Ela gostava de mim como homem e eu gostava dela como mulher, e nossa relação de aluno e professora ficava longe disso.

Fui então embora depois de ela me dar um outro beijo demorado. E antes de chegar em casa recebi outra mensagem dela e uma foto.

- Essa não precisa apagar.

E abaixo um nude dela de corpo inteiro. Respondi então com risos e falei

- Espero que seja esse o primeiro de muitos.

E ela respondeu

- Quem sabe... ;)

E mandou outra foto dela pelada na cama, mas agora mandando um beijo.

Nos dias que se passaram depois desse eu não vi ela a não ser na escola. Ela no fim de semana ficou conversando com advogado pra abrir o processo de divórcio sem o marido dela perceber. Ela teve que preparar a filha mais nova também para não chocar a menina, e um mês depois ela falou na cara dele que queria o divórcio.

Ele recusou no inicio, disse que não era ele no vídeo e que era uma montagem. Mas a professora chamou a mulher lá que trabalhava com ele e mostrou o vídeo. Ela ficou puta da vida e disse que era ele sim, mas disse que não era pra ele ter postado aquilo.

No fim eles se separaram e eu meio que comecei a ter um caso com a minha professora. Depois daquela noite nos encontramos outras vezes em motéis, e as vezes até mesmo na casa dela. O marido dela desconfiou que ela já estava com outra pessoa e acusou ela de traição também, ela meio que admitiu mas não disse com quem era. No fim ele desistiu da ideia de tentar descobrir e até hoje eu ainda me encontro com ela as vezes.

Ela não voltou a namorar nesse meio tempo por opção. E apesar de a gente se dar bem decidimos não criar nenhum relacionamento fixo depois que me formei.

Ainda tenho boas histórias de aventuras que tive com ela e posso contar se quiserem. Me desculpem por ter ficado tão longo. Me digam também se gostaram, e antes que peçam os nudes dela... Eu tenho uma certa política quanto a nude que eu recebo. Eu nunca compartilho eles se forem enviados diretamente para mim pela pessoa, então peço ja que entendam isso.

Enfim, até a próxima!

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201802796