Escravo da minha prima

Categoria: 

Meu nome é Paulo e estou escrevendo meu segundo conto aqui no site. Dessa vez vou contar uma história que aconteceu comigo na adolescência e os nomes aqui citados serão fictícios para preservar a identidade.

Eu tenho uma prima que estava prestes a completar 21 anos. O nome dela é Graziela, mas vou chamá-la de Grazi. Ela é loira, magra da cintura fina, bunda tamanho pequeno pra médio e peitos pequenos. Porém o que mais me interessava nela eram seus pés, tamanho 34 com dedos escadinha.

Uma vez eu decidi contar pra ela da minha podolatria, mas ela riu de mim e me chamou de louco, mas apesar disso nossa relação não mudou, pelo contrário ficamos mais próximos.

Como eu disse, ela estava para completar 21 anos e me perturbava há semanas pra eu dar um bom presente a ela. Eu acabei comprando esse presente e dei a ela no dia do aniversário dela. Era uma quarta-feira e no outro dia eu tinha que estudar logo de manhã. Ela disse pra mim que no outro dia (quinta-feira) eu fosse na casa dela pela tarde pra ajudar ela com algumas coisas.

Deu quinta-feira e eu cheguei lá por volta das 14:00h. Só tinha ela em casa e eu entrei e fui ajudar ela. Foi quando eu percebi algo estranho: ela estava usando havaianas, daquelas de borracha, coisa que era incomum pois na maior parte do tempo ela ficava descalça. Aquilo me excitou muito e os pés dela estavam com as unhas pintadas de rosa.

Não foram nem 10 minutos e ela me perguntou:

-Você ainda tem suas doidices de gostar de pé é?

-Eu tenho... - respondi com vergonha.

Ela só riu e foi até o quarto dela. A porta da frente estava trancada e ela me chamou.

Quando eu cheguei lá ela disse:

-Fecha a porta aí e passa a chave.

Eu só obedeci. Depois ela olhou pra mim e falou:

-Ontem você me deu o presente que eu pedi a você. E eu pesquisei aquele negócio que você tem por pé. Agora presta atenção, daqui pra frente você vai ser meu escravo e vai fazer o que eu quiser quando estivermos sozinhos ou quando ninguém estiver olhando! Receba isso como uma retribuição ao presente que você me deu.

Meus amigos, meu pau que já estava duro desde que ela mandou eu trancar a porta ficou ainda mais duro. E ela logo percebeu.

-Olha pra isso kkk. Eu andei hoje de manhã muito com essa sandália e ainda não tirei ela. Cheguei toda suada e ainda nem tomei banho.

Ela levantou os braços e disse:

-Eu não sei se você gosta, mas não importa. Quero que você cheire meu sovaco até quando eu mandar você parar.

Não hesitei. Apenas enfiei a cara ali e cheirei, cheirei muito. Nunca tinha feito isso, mas gostei bastante.

-Agora lambe cachorrinho.

Lambi desesperadamente aquele suvaco peladinho e branco. O sabor era azedo, mas me excitava de uma forma descomunal.

-Cansei. Agora beija meus pés e tira essa sandália.

Eu apenas obedecia tudo o que ela mandava. Beijei muito aqueles pezinhos e já muito ansioso pra lamber seus pés tirei suas havaianas. Logo levei-as ao nariz e o cheiro era magnífico. Estava muito mais forte do que o de costume (as vezes eu cheirava escondido).

-Agora você vai ter a maior honra da sua vida. Cheira meu pé bem forte, escravo!

-Sim, minha rainha.

Colei meu rosto nos pés dela e cheirei como se precisasse daquele cheiro pra viver. Era o chulé mais gostoso do mundo, e eu estava me sentindo no céu. Fiquei uns 5 minutos só cheirando até que ela puxou os pés e disse:

-Implora pra eu pisar em você!

Com aquelas palavras eu fui à loucura.

-Minha rainha, é uma honra eu poder estar servindo aos seus pés. Eu imploro que você pise em mim, por favor.

-Bom escravo - ela riu e me deu um leve chute no rosto.

Eu deitei na cama e ela já subiu em mim e começou a me pisar, principalmente na cara. Quando ela pisou no meu pau e viu que tava duro disse:

-Safado. Isso é pra lamber meu pé? Hahaha agora você vai ter o que tanto queria.

Ela mandou eu me ajoelhar e colocar a língua pra fora. Num instante eu já estava lá, ajoelhado diante da minha rainha, no momento em que eu mais esperei em toda a minha vida. Logo coloquei a língua pra fora e ela passou a sola inteira do pé nela. O gosto era de suor misturado com chulé e estava fantástico, lógico que eu não me aguentei e comecei a lamber toda a sola frenticamente. Ela me deu um chute na cara e empurrou pra longe.

-Quem mandou você lamber assim? Lambe meu pé direito. Aproveita o gosto da sola inteira escravo. Se você não fizer direito nunca mais vai ter a oportunidade de chegar perto deles.

Eu não queria perder a oportunidade de fazer isso mais vezes, então eu passei a lambê-los com mais calma. Lambi o calcanhar, o arco (que por sinal era o mais perfeito que eu já vi na vida), lambi a sola inteira várias vezes e lambi entre os dedos e deixei os pés da minha rainha brilhando. Ela empurrou o dedão na minha boca e eu pude sentir o néctar daquela perfeição, chupei muito os dedos dela, abusei principalmente do dedão.

-Olha só o que tem pra você... - Grazi disse e cuspiu na sola do seu pé. - Lambe meu cuspe hahaha!

Eu já estava pra ter um orgasmo, quando ela disse isso eu lambi aquele cuspe como se fosse um sorvete. Melhor ainda quando ela cuspiu nos dedos e enfiou todos de uma vez na minha boca. Os pés dela já estavam todo brilhando quando ela disse.

-Amei seu trabalho. Já que seu pau tá muito duro vou te dar uma recompensa. Fica pelado que vou te punhetar com meus pezinhos.

Naquele momento eu pensei que estava sonhando, quando coloquei meu pau pra fora e vi que ela tava de costas com as solas pra cima eu quase gozei.

Eu encostei meu pau naquelas solas sem acreditar, e ela encaixou os pés perfeitamente nele. Grazi movimentava pra cima, pra baixo, esfregava e eu já não aguentando mais segurar minha goza. Ela virou de frente, colocou a cabeça do pau entre o dedão e o indicador e começou a punhetar, e vez ou outra fazia os movimentos mais tradicionais do footjob como se fosse uma profissional.

Até que ela disse:

-Já tá bom né? Goza logo nesses pés perfeitos da sua rainha.

Eu peguei o pé dela e esfreguei só a cabeça na sola inteira e depois esfreguei meu pau. E quando eu vi que ia gozar, juntei os pés dela totalmente de forma que meu pau ficou exatamente no arco, comecei a fazer um vai e vem muito rápido, e de repente ela ficou na pose de anjo, onde eu encaixei meu pau de novo nos pés dela e não demorei mais que 10 segundos pra gozar tudo. Foi a maior gozada que ja dei na vida.

Depois ela disse que iríamos ter mais vezes assim e acabou que já era 16:30hrs e eu tinha que ir pra casa. Então, esse é o meu conto.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201803198