Uma excelente surpresa com casal de Recife

Abas primárias

Categoria: 

Olá, segue mais um conto verídico. dessa vez, serei mais breve na narrativa. Espero que gostem.

Meses após o encontro que tive com o casal de amigos, recebi uma mensagem de uma mulher, perguntando se eu era amigo da Bruna, e querendo saber se poderia ajudá-la em um problema. Prontamente respondi que sim, e que precisava saber de detalhes do que ela queria. Resumindo, marcamos de nos encontrar. Eu, ela e o esposo.

Até então, achei estranho, mas não acreditava que nada de errado poderia acontecer, nem desconfiei do que realmente se tratava. Alegando que tinha uma ótima referência minha, e que poderia confiar em mim, o encontro foi marcado na casa deles. Apesar de não gostar de tratar assuntos profissionais em casa, aceitei.

Cheguei no prédio, o porteiro interfonou, e disse que eu poderia subir. Ao abrir a porta, Renata e Alex apareceram juntos, me cumprimentaram, e pediram para entrar. Sentamos no sofá, e ela, mais desinibida que le, começou explicando que Bruna dito algumas coisas sobre mim, e que tinha uma pergunta muito íntima para fazer. E gosatria de saber se eu estava disposto à responder, independente do que fosse.

Fiquei desconfiado. Alex levantou, e ofereceu-me uma dose de uísque. Ao me virar, notei dois copos, ainda com bebida dentro, em cima da mesa de jantar. Eles haviam bebido. Estranho para quem quer tratar de problemas. Aceitei a bebida, e Renata disse que me mostraria algo. Pegou o celular e me disse que, na verdade, não era bem um problema. Mostrou-me uma foto minha, sem roupa, que nossa amiga Bruna havia tirado. Fiquei meio constrangido. Renata tratou de me tranquilizar, dizendo que sabia de detalhes, e que tinham se interessado por mim.

Enfim, o que queria saber era se poderia ajudá-los. De uma forma um pouco diferente de como foi com o casal amigo nosso. Ela se levantou, estendeu a mão, e pediu que me levantasse. Girou 360º, e perguntou o que achava dela. Alex apenas olhava. Respondi que era muito bonita, e o fato de ter pernas grossas, muito me agradava. Ela sorriu, e disse que mostraria mais. Mandou o esposo se levantar, e tirar o vestido dela. Ele, ainda em silêncio, obedeceu.

Que maravilha. A baixinha é linda de corpo. Tudo natural, sem muita malhação, mas tudo no lugar. E bem proporcional. E a marquinha de biquini era visível em algumas partes. Isso me deixou com mais tesão.

Renata veio em minha direção, me abraçou, e perguntou se eu queria realizar a fantasia deles. Sussurrando em meu ouvido, disse que o esposo era tímido, mas morri de vontade de que ela ficasse com alguém na frente dele. Perguntei se ele era obediente, e ela afirmou que sim. Disse ainda que ele faria tudo que eu e ela exigisse. Fiquei instigado.

Renata disse que poderia fazer tudo que eu quisesse com ela, mas que tinha duas xigências. Eu teria que gozar nas pernas dela, nas coxas e na parte de baixo das pernas. Nada demais, aceitei. E não beijar. Também aceito por mim.

Renata me soltou, sentou novamente no sofá, ao lado de Alex, e falou algumas coisas no ouvido dele. Ele sorriu e deu um beijo nela. Ela disse que amava ele e se levantou. Alex tirou o sutiã e a calcinha de Renata. Que bela visão!

a baixinha tinha uns peitinhos pequenos, e um bumbum lindo, com uma marquinha de um quase fio dental.

Mandona, determinou que eu tirasse minha roupa. Claro que obedeci.

Renata sentou-se novamente ao lado de Alex, e mandou que eu me aproximasse. Cheguei bem perto. De pau bem duro, na altura do rosto dela. Ela olhou para o esposo, e pegou no meu pau com aquela mão pequena e macia, e bem quentinha. Me masturbou um pouco, bem lentamente. Levantou, e me puxou para o quarto. O marido veio nos seguindo.

Renata me empurrou na cama, enquanto o marido fechava a porta. A danada disse que ali poderíamos fazer um pouco de barulho, e que eu poderia falar algumas sacanagens. Subiu em cima de mim, e sussurrou novamente, dizendo que queria ser xingada ,e que eu também xingasse ele. Desceu, e começou a beijar a cabeça do meu pau, e lamber também. Depois, começou a chupar de forma irrepreensível. Cheio de tesão, comecei à chamá-la de gostosa, de safadinha, tentado sentir o clima. A safada mandou chamá-la de putinha, disse que naquele dia, seria uma putinha safada e obediente.

Fiquei maluco de tesão, e comecei a falar algumas sacanagens. Alex já estava de cueca, acariciando o pau e prestando bastante atenção. Não aguentei, mandei ela ficar de quatro, e dizer ao marido que ela seria comida, e que ele olhasse bem como deve ser tratada uma putinha gostosa daquela. Ela obedeceu, e avisou ao marido que estava louca para sentir uma rola nova, e que iria gozar no meu pau. Daí em diante, fudemos bem gostoso, alternando movimentos fortes e xingamentos, com uma pegada mais cadenciada falando safadezas ao pé do ouvido.

Após a posição inicial, pedi que ela deitasse, colocasse um travesseiro na parte de baixo da barriga para ficar com o bumbum bem empinado, me acocorei e enfiei tudo. Ela gemia, gritava, chamava o Alex de amore de corninho, e ele apenas se masturbava.

A safada pediu para sentar no meu pau. Deitei, ela mandou o marido se aproximar, e sentou com aquela linda bunda viarada para o meu rosto. Alex ficou sentado na cama, e ela o puxou pela cabeça, mandando que ele ficasse bem próximo, para sentir o cheiro do sexo, ppois um bom marido tem que acompanhar a esposa bem de perto.

Foi nessa posição que Renata gozou. Ficou parada, com meu pau todo dentro dela. Respirava fundo, e falava sacanagens para o marido. Depois de descansar um pouco, saiu de cima de mim. Meu pau ainda estava duro, e eu louco para gozar.

A linda baixinha deitou-se, e pediu que eu me masturbasse até gozar em suas lindas e grossas pernas. Como sou um amigo obediente e adoro dar prazer, atendi o pedido. E não demorei muito para gozar. Parte na coxa, parte na lateral interna da panturrilha. Renata dizia que quilo era maravilhoso, sentir uma porra quentinha de outro homem, e mostrava ao marido a pena toda melada.

Cansado, me deitei o lado dela, que ficou alisando meu peito por alguns instantes. Renata se aproximou mais, e me perguntou, bem baixinho, se poderia finalizar a fantasia deles da forma como quisesse. Respondi que sim. Ela insistiu, perguntando se não ficaria pensando coisas erradas sobre eles. Tranquilizei ela, que pareceu confiar em minhas palavras.

Por fim, Renata chamou Alex, deu um beijo nele, bem demorado, e determinou que o esposo limpasse toda a perna dela. Alex, de forma muito prestativa e obediente, e ainda em silêncio, obedeceu e deixou a esposa bem limpinha...

Casais e mulheres de Pernambuco e demais Estados da região que quiserem contato...

vipmaster10@hotmail.com

Mandem e-mail ou deixem comentários no conto que trocamos números de telefones.

https://www.casadoscontos.com.br/texto/201803170